domingo, 27 de novembro de 2016

A Sua RELIGIÃO está Preparada para Lidar com EXTRATERRESTRES?

Professor de astronomia da Universidade de Vanderbilt questiona como religiões reagirão se vida extraterrestre for descoberta um dia


Como a humanidade reagirá quando astrônomos encontrarem evidências sólidas da existência de vida além da Terra? Sem especulação. Sem dúvidas. O momento em que os cientistas anunciarem essa descoberta, tudo mudará. No mínimo, nossas filosofias e religiões precisarão incorporar essa nova informação.


Buscando sinais de vida

Até o momento astrônomos identificaram milhares de planetas na órbita de suas estrelas. Nesse ritmo de descoberta, milhões de outros serão descobertos ainda nesse século.

Agora que já encontraram planetas físicos, os astrônomos estão procurando por nossos vizinhos biológicos. Ao longo dos próximos 50 anos, eles darão início ao estudo provocador e detalhado de milhões de planetas, em busca de evidência da presença de vida acima ou abaixo das superfícies ou nas atmosferas desses planetas.

E é bem possível que os astrônomos encontrarão o que buscam. Apesar do fato de mais de um terço dos americanos acreditarem que alienígenas já visitaram a Terra, a primeira evidência de vida além do nosso planeta provavelmente não será descoberta por meio de sinais de rádio, homenzinhos verdes ou discos voadores. Em vez disso, um Galileu do século 21, usando um telescópio enorme, de uns 50 metros de diâmetro, coletará luz das atmosferas de planetas distantes, em busca de sinais de moléculas biologicamente significantes.

Astrônomos filtram essa luz distante por meio de espectrógrafo — prismas de alta tecnologia que permitem uma análise da luz em vários comprimentos de ondas diferentes. Eles estão em busca do que vai identificar moléculas que não existiriam em abundância nessas atmosferas na ausência de seres vivo. Os dados do espectrógrafo dirão se processos biológicos alteraram o ambiente do planeta.


Se não estamos sozinhos, quem somos?

Com a descoberta da luz de espectro em planetas distantes de elementos que só poderiam ser produzidos por seres vivos, a humanidade terá a oportunidade de ler uma nova página no livro do conhecimento. Nós não estaremos mais especulando sobre a possibilidade de existirem outros seres no universo. Saberemos que não estamos mais sozinhos.

Uma resposta afirmativa para a pergunta: “A vida existe em algum lugar no universo além da Terra?” levantará algumas questões imediatas e profundas cosmológicas e éticas sobre o lugar que ocupamos no universo. Se seres extraterrestres existirem, a minha religião e minhas crenças e práticas religiosas podem não ser universais. Se a minha religião não é universalmente aplicável para seres extraterrestres, talvez minha religião não precise ser oferecida ou forçada nos seres terrestres. Basicamente, talvez nós aprendamos algumas lições importantes aplicáveis em casa só de considerar a possibilidade de vida em outro planeta além do nosso.

No meu livro, eu investiguei os escritos sagrados das religiões mais praticadas ao redor do mundo, questionando o que cada religião tem a dizer sobre a singularidade e não-singularidade da vida na Terra e como, ou se, uma religião em particular funcionaria em outros planetas em partes distantes do universo.


Pecadores extraterrestres?

Vamos analisar a questão teológica aparentemente simples ainda assim muito complexa: extraterrestres poderiam ser cristão? Se Jesus morreu com o objetivo de resgatar a humanidade do estado do pecado no qual os humanos nascem, a morte e ressurreição de Jesus, na Terra, também redime outros seres perdidos que são nascidos em um estado parecido de pecado? E se for assim, por que os extraterrestres seriam tão pecadores? O pecado é algo construído no tecido do espaço-tempo do universo? Ou a vida pode existir em partes do universo sem ser em um estado de pecado e, logo, sem a necessidade de redenção que não necessita do Cristianismo? Várias soluções diferentes para os quebra-cabeças que envolvem a teologia cristã vêm à tona. Nenhuma delas satisfaz todos os cristãos.


Mundos mórmons

A escritura mórmon claramente ensina que outros mundo inabitados existem e que “esses inabitantes são nascidos filhos e filhas de Deus”. Na Terra, no entanto, o mundo dos mórmons, no qual Jesus, como é compreendido por eles, viveu e ressuscitou somente na Terra, é privilegiado. Além disso, as inteligências mórmons só conseguem alcançar seus próprios objetivos espirituais durante suas vidas na Terra, não durante suas vidas em outros mundo. Logo, para os mórmons, a Terra pode não ser o centro físico do universo, mas é o lugar mais privilegiado do universo. Essa visão sugere que todos os outros mundos são, de alguma forma, menos importantes do que a Terra.


Fé bahá’í sem viés

Membros da fé Bahá’í têm uma visão do universo que não tem viés a favor ou contra a Terra como um lugar especial ou os humanos como uma espécie especial. Os princípios para a fé Bahá’í — unificar a sociedade, abandonar preconceitos, tornar as oportunidades iguais para todas as pessoas, eliminar a pobreza — são sobre os humanos na Terra. Quem segue essa fé esperaria que qualquer criatura de qualquer lugar do universo venerasse o mesmo Deus que os humanos, mas talvez não das mesmas formas específicas da Terra.


Anos-luz da Meca

Para os muçulmanos, os pilares da fé exigem que eles rezem cinco vezes todos os dias na direção da Meca. Já que determinar a direção correta da Meca pode ser extremamente difícil em um planeta que gira rápido a milhões de anos-luz da Terra, praticar a mesma fé em outro lugar pode não fazer sentido. Ainda assim as palavras de Qu’ran são “Seja lá quais seres existem nos céus e na Terra, eles se dirigem a Alá”. Será que os muçulmanos terrestres podem aceitar que o que foi dito profeticamente na religião de Maomé é direcionado tanto para os humanos na Terra quanto em outros mundos que possuem seus próprios profetas?


Astrônomos como quebra de paradigmas

Em algum momento ao longo da história, as descobertas de astrônomos exerceram uma influência gigante na cultura humana. Astrônomos gregos “desachataram” a Terra — mesmo que vários deles escolheram esquecer esse conhecimento. Copérnico e Galileu, acadêmicos da Renascença, colocaram a Terra em movimento ao redor do Sol e moveram humanos para longe do centro do universo. No século 20, Edwin Hubble eliminou a ideia de que o universo sequer possui um centro. Ele demonstrou o que o universo era no começo do tempo e o que, bizarramente, o universo, o próprio tecido tridimensional do espaço, está se expandindo.

Fica claro que astrônomos não estão de brincadeira quando oferecem novas ideias para o mundo. Outra ideia de quebrar paradigma pode estar chegando aos nossos telescópios agora mesmo.

Não importa quais informações oferecem a sua teologia, você talvez tenha que lutar com os dados que astrônomos trarão para dentro de nossas casas no futuro próximo. Você precisará perguntar: é o meu deus o deus de todo o universo? A minha religião é terrestre ou universal? Conforme as pessoas trabalham para reconciliar a descoberta de vida extraterrestre com suas visões teológicas e filosóficas de mundo, a adaptação às notícias de vida além da Terra será desconfortável e talvez até perturbador.

*David a Weintraub é professor de astronomia da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos. Este texto foi publicado originalmente em inglês no The Conversation.

Através de OvniHoje.


sábado, 19 de novembro de 2016

Cientista afirma que Física Quântica pode provar que EXISTE VIDA APÓS A MORTE

A maioria dos cientistas provavelmente diria que o conceito de vida após a morte é um tanto absurdo, ou pelo menos improvável para padrões científicos. No entanto, um especialista afirma que tem provas para confirmar a existência de vida após a morte, graças à física quântica.


De acordo com o professor Robert Lanza, a teoria da biocentrismo ensina que a morte, como conhecemos, é uma ilusão criada por nossa consciência. “A vida é apenas a atividade de carbono e uma mistura de moléculas. Vivemos um tempo e depois apodrecemos”, disse o cientista em seu site pessoal. Lanza, da Escola de Medicina da Wake Forest University, na Carolina do Norte, disse que os seres humanos acreditamos na morte porque “nós fomos ensinados a morrer”, ou, mais especificamente, a nossa consciência associa a vida com os corpos, que possuem determinado tempo de vida. No entanto, sua teoria explica que a morte pode não ser tão terminal quanto pensamos.

O biocentrismo é descrito como a teoria de tudo, e vem do grego para “centro de vida”. É, basicamente, a crença de que a vida e a biologia são fundamentais para a realidade e que a vida cria o Universo, não o contrário. Isto sugere que a consciência de uma pessoa determina a forma e o tamanho dos objetos do Universo. Lanza usa o exemplo da forma como percebemos o mundo: uma pessoa vê um céu azul, e é dito que a cor que ela está vendo é azul, mas as células do cérebro da pessoa podem ser alteradas para reconhecer a cor do céu como verde ou vermelha. “O que você vê não existe sem a sua consciência. Nossa consciência dá sentido ao mundo”, explicou.

Ao olhar o universo do ponto de vista de um biocêntrico, espaço e tempo não se comportam de formas rígidas e rápidas como a nossa consciência diz. Em resumo, o espaço e o tempo são “meros instrumentos da nossa mente. Uma vez que essa teoria sobre o espaço e o tempo como apenas construções mentais é aceita, a morte e a ideia da imortalidade passam a existir em um mundo sem fronteiras espaciais ou lineares. Similarmente, os físicos teóricos acreditam que há um número infinito de universos com variações diferentes de pessoas e situações, ocorrendo simultaneamente.

Lanza acrescentou que tudo o que pode acontecer está ocorrendo em algum ponto em todos estes multiversos e isso significa que a morte pode não existir em “qualquer sentido real”.

Lanza cita o teste da dupla fenda, na foto, para fazer alusão de suas reivindicações. Quando os cientistas observam uma partícula passando por duas fendas, a partícula passa através de uma fenda ou outra. Se uma pessoa não estiver vendo, ela age como uma onda e pode passar por ambas as fendas simultaneamente. Isso significa que suas mudanças de comportamento funcionam com base na percepção de uma pessoa.

Ele diz que quando morremos, a nossa vida torna-se uma “flor perene que retorna a florescer no multiverso”. Lanza citou o famoso experimento da dupla fenda para justificar suas reivindicações. Na experiência, quando os cientistas observam uma partícula passar através de duas fendas numa barreira, ela se comporta como uma bala e passa através de uma fenda ou de outra. No entanto, se o pesquisador não prestar atenção na partícula, ela age como uma onda. Isto significa que ela pode passar por ambas as fendas ao mesmo tempo, demonstrando que a matéria e a energia podem exibir características tanto de onda quanto de partícula. Em outras palavras, que as alterações do comportamento das partículas são baseadas na percepção de uma pessoa e sua consciência.


quarta-feira, 9 de novembro de 2016

As Quatro Fases do Despertar Espiritual


Por Melanie Beckler
Tradução: Regina Drumond

Você está passando por um despertar espiritual?

Quando se trata de despertar espiritualmente, como é o caso com a maior parte das experiências espirituais, é quase impossível descrever totalmente com palavras o que isto significa. Porque as experiências espirituais são, de acordo com a sua própria natureza, não lógicas, ou confinadas pelas limitações da linguagem.

Muito do que ocorre quando você desperta espiritualmente, não pode ser visto, ou descrito com precisão, mas pode somente ser sentido, vivido completamente, testemunhado e experienciado.

Então, o que significa ter um Despertar Espiritual?

Alguns descrevem o despertar como o momento em que você abre o seu coração à Deus e permite a entrada de um novo nível de luz e começa a ver e a experienciar uma compreensão mais profunda do que a vida realmente é.

Outros diriam que é o momento em que você se desliga de suas histórias, ultrapassa os condicionamentos e as crenças limitantes, permitindo-lhe começar a experienciar em primeira mão, a resposta para a pergunta: “Quem sou eu?”

Não importa quais as palavras que sejam usadas, o despertar espiritual é um momento de transcendência e, com consciência, este momento pode se estender, afetando todas as áreas de sua vida.

O Despertar espiritual muda a forma com que você se move através do mundo, e permite uma sensação de paz interior e de tranquilidade para governar as suas ações e reações.

Antes de você despertar, a vida parece ser uma série de coincidências, ou uma série de eventos que você tem uma mão na orquestração. É como se a vida fosse algo sobre a qual você exercesse a sua vontade, a fim de influenciar.

Antes de despertar, embora você possa ter ouvido isto antes, é, muitas vezes, difícil compreender que tudo o que acontece na vida se desenrola perfeitamente como deveria. A nossa tendência é acreditar que as coisas ruins aconteceram para nós e que coisas boas aconteceram por causa de nós.

Mas quando você começa a despertar, aplicando pouca presença a sua vida e a sua experiência universal como um ser humano, você começa a compreender e, o mais importante, a sentir um fluxo com a vida.

Sua presença lhe permite relaxar e reconhecer que você está sempre em sintonia com a energia Divina do Universo. Sua coincidência deixa de ser aleatória e a sua intuição se tornará cada vez mais forte.

Embora diferente para todos, um despertar espiritual leva apenas um momento.

O despertar espiritual é o momento em que você está preparado e disposto a se desligar do seu ego e do pequeno você, que está temeroso e confuso, e que não é entendido como você.

Felizmente, estes momentos são poderosos e transformadores, e esta mudança na compreensão pode durar apenas este momento, algumas horas, ou dias.

Infelizmente, para alguns, é um momento em que se deve aprender a se estabilizar, a fim de viver neste estado de transcendência. Há, é claro, muitas ferramentas para ajudá-lo a evoluir em seu caminho espiritual.

Não é que isto exija esforço, trabalho ou prática. O despertar espiritual está aberto a qualquer pessoa que esteja preparada a abrir mão de falsas crenças – leve isto anos para chegar a este ponto, ou um momento de impacto.

O que é necessário para estabilizar esta transcendência é retornar repetidamente à presença; a silenciar a sua mente e a entrar em sintonia com o seu centro cardíaco.

O despertar espiritual é uma bela experiência, mas ele pode parecer uma montanha russa, às vezes, quando você oscila entre estados de depressão, estados de exaltação e de estabilidade.

Para ajudar a lançar alguma luz neste processo, aqui estão algumas fases através das quais a maioria das pessoas evolui no caminho do despertar espiritual.

As Quatro Fases do Despertar Espiritual

Primeira Fase: O Chamado do Despertar

O chamado do despertar espiritual chega de muitas formas. A mais comumente entendida é a experiência da perda, da crise, ou de alguma tragédia. Quer se trate de morte, de dificuldades financeiras, um acidente ou lesão, um divórcio, um desastre natural, ou problemas com a saúde, este chamado do despertar é sempre inesperado.

Diante da crise você pode deixar de agir normalmente e entrar no modo de sobrevivência, muitas vezes, incapaz de pensar em algo que não seja a crise. Você é incapaz de absorver o que está acontecendo e se sente intensamente desafiado. Este tipo de chamada do despertar é, com frequência, chamado de “a noite escura da alma”.

O chamado do despertar pode também ser um período prolongado de frustração com a vida.

É uma sensação inefável de que algo está faltando. Algo importante.

O chamado pode ser também um momento de reconhecimento ou de recordação. As coisas se tornam mais claras e começam a fluir com mais facilidade e adquirimos um senso de propósito. Isto pode vir de uma conversa, um livro, uma prática espiritual ou de um evento surpresa.

No entanto, o chamado do despertar o alcança, e ele o impulsiona para uma fase de aprendizado, de busca e de descoberta. Quando isto acontece, você, de repente, precisa saber, compreender e experienciar mais do que começou a entrar em sintonia.

Você quer ler, falar sobre isto e senti-lo mais profundamente. Quanto mais o tempo passa, mais urgente se torna a sua necessidade de compreender e de integrar o que está acontecendo.


Segunda Fase: Criação

Eventualmente, através de sua busca por mais informações e mais experiências, você pode alcançar um ponto em que compreende que a extensão total do que você está buscando não pode ser encontrada em livros ou mesmo através de mestres espirituais.

Você percebe, que o que está buscando e ansiando, é algo que pode somente encontrar interiormente.

Se você está se recuperando de uma crise ou de uma perda, você começa a sentir que, apenas talvez, havia um presente ali para você. Você começa a ver o consolo nesta situação e entender que a sua noite escura da alma foi uma espécie de presente, procurando impulsioná-lo para algo mais elevado.

Este presente, em primeiro lugar, manifesta-se como a capacidade de ver a beleza e a graça do universo que se revelam em sua vida. Muitas vezes, você tem que olhar para trás, para algo, e ver como isto nos ajudou, mas na fase da criação você está se fundindo mais e mais com o fluxo e a capacidade de ver a perfeição em todas as coisas. A sua necessidade de rotular as coisas como certas e erradas, boas e ruins, diminui.

É agora que você começa a experienciar mais a presença e a sincronicidade. Não é que o sofrimento acabe. Você pode ainda ficar louco quando os seus filhos deixam uma bagunça na cozinha ou pode se sentir impaciente na fila do supermercado, mas está também aprendendo a deixar de se identificar com estes sentimentos, a mudar novamente para a perspectiva do observador e a permanecer em seu centro, confiante de que tudo está se revelando como deveria.


Terceira Fase: Conexão

Retornando mais e mais à presença, você começa a experienciar que quem e o que você pensava que era, você não é. Este é um tempo de dualidade e de unidade. Você pode ver que os seus pensamentos e sentimentos vêm e vão, suas reações vêm e vão, mas algo essencial está sempre presente.

Você pode se identificar com os seus pensamentos e sentimentos ou pode recuar e ver que você não é realmente o que está pensando e sentindo. Você é eterno. Você está sempre presente, você não vem e vai. Você está firmemente ancorado em sua conexão com o seu Eu Superior, com os reinos do Espírito e com Deus.

As coisas deixam de se tornar obstáculos e começam a se tornar eventos simples que chegam ao seu campo de consciência, e, então, partem. Em vez de se tornar submerso nas emoções e experiências desafiadoras, você é capaz de simplesmente observar estas como aparições em seu mundo interior, ou no mundo exterior ao seu redor.

Não é um estado robótico. O pensamento e o sentimento continuam. Você ama, você ri, você revira os olhos, mas sabe que é mais do que todas estas coisas. Você se identifica mais com o seu Eu Superior. Em tal estado, você se torna mais calmo, mais feliz e mais centrado.


Quarta Fase: Integrando a Sua Verdade

Nesta fase, a experiência de quem você realmente é, está mais estabilizada e constante. Você se identifica menos e menos como uma pessoa com problemas para resolver, e mais como um ser espiritual experienciando problemas – que não são realmente problemas, mas apenas algo que está acontecendo.

Este é um momento de grande alegria porque você está muito conectado com Deus e com todo o Universo. Está claro que você é Um com todos e com tudo, profundamente conectado e entrelaçado com toda a vida.

Nesta fase, as pessoas em sua vida podem começar a notar a vibração e a paz em sua face. Você é ainda a mesma pessoa que era antes, mas é também alguém inteiramente novo, porque a sua compreensão é bem maior.

Você finalmente aprendeu a residir em seu coração, em vez de em sua cabeça.

Embora seja difícil descrever o despertar espiritual, as pessoas tendem a saber quando ele está acontecendo com elas.

Você sente como se estivesse passando por um despertar espiritual?

Então, provavelmente, está…

Você pode ter uma noite escura da alma que o precede, ou ele pode acontecer em um flash. Mas uma coisa é certa: quando você está despertando espiritualmente, você o sente. Você se sente um pouco diferente, e não tem certeza se avança ou recua.

Saiba que você não é estranho, e não está sozinho. Você está onde deve estar, e enquanto continua a acessar a luz interior e a sabedoria que sempre teve, e está simplesmente agora aprendendo a como entrar em sintonia… A vida começará a assumir uma sensação ainda mais mágica.

O despertar espiritual não é um caminho fácil, mas está cheio de bênçãos, de magia e de oportunidades para viver com mais amor, alegria e satisfação do que nunca.

O despertar espiritual está se alinhando com o conhecimento de seu propósito mais elevado e trazendo a si mesmo ao alinhamento com ele, aqui e agora.

Mas, é claro, isto acontece um passo de cada vez. E, assim, seja gentil com você, honre onde você está e permaneça positivo sobre onde você está se dirigindo.

Quando você duvidar, fique em silêncio, acalme a sua mente, abra o seu coração e se conecte com os seus anjos. Eles irão ajudá-lo a acessar a brilhante luz e a sabedoria que você leva interiormente.

Seja preenchido com o conhecimento de que tudo está acontecendo como deveria.

Com amor e luz!

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Ramatis por Emmanuel

A mensagem abaixo reproduzida contém a íntegra de uma entrevista realizada com o médium Francisco Cândido Xavier e seu Instrutor Espiritual chamado Emmanuel, publicada pela Revista Boa Vontade, Ano 1, nº 4 - Outubro de 1956:

"Logo que apareceram as primeiras publicações da 'Conexão de Profecias' (Hoje com o título Mensagens do Astral), de Ramatis, fomos a Pedro Leopoldo, a fim de ouvir a palavra autorizada de Emmanuel, através daquele aparelho maravilhoso que é Francisco Cândido Xavier. Isto, porque o que era dito pelo espirito de Ramatis, parecia-nos perfeitamente lógico. Mas, como constituía novidade, não queríamos aceitar de pronto algo que não passasse pelo crivo de várias manifestações mediúnicas, através de diversos aparelhos.

Desta forma, munidos do aparelho de gravação em fita, fomos atendidos gentilmente pelo médium, que respondeu às perguntas que fazíamos, repetindo as palavras da resposta, que eram ditadas por Emmanuel. A gravação foi feita no dia 5 de janeiro de 1954. Conservamos até hoje o rolo gravado em nosso poder.

Passamos a estampar as perguntas e respectivas respostas:

Pergunta: - Que pode o irmão dizer-nos a respeito do astro que se avizinha, segundo a predição de Ramatis?

Chico Xavier: - Esclarece nosso orientador espiritual que o assunto alusivo à aproximação de um Planeta ou de Planetas, da zona - ou melhor da aura da Terra - deve, naturalmente, basear-se em estudos científicos, que possam saciar a curiosidade construtiva das novas gerações renascentes no mundo. O problema, desse modo, envolve acurados exames, com a colaboração da ciência e da observação de nossos dias. Razão por que pede ele que não nos detenhamos na expressão física dos acontecimentos que se vizinham, para marcar maiores acontecimentos - acontecimentos esses de natureza espetacular - na transformação do plano em que estamos estagiando, no presente século. Afirma nosso amigo que o progresso da óptica e das ciências matemáticas, serão portadoras, naturalmente, de ilações, conclusões da mais alta importância para os nossos destinos, no futuro próximo.

Pergunta: - Pode Emmanuel dizer-nos algo a respeito da verticalização do eixo da Terra e das transformações que esta sofrerá, segundo Ramatis?

Chico Xavier: - Afirma nosso Orientador espiritual que não podemos esquecer que a Terra, em sua constituição física, propriamente considerada, possui os seus grandes períodos de atividade e de repouso. Cada período de atividade e cada período de repouso da matéria planetária, que hoje representa o alicerce de nossa morada temporária, pode ser calculado, cada um, em duzentos e sessenta mil (260.000) anos. Atravessando o período de repouso da matéria terrestre, a vida se reorganiza, enxameando de novo, nos vários departamentos do Planeta, representando, assim, novos caminhos para a evolução das almas.

Assim sendo, os grandes instrutores da Humanidade, nos planos superiores, consideram que, desses 260.000 anos de atividade, 60 a 64 mil anos são empregados na reorganização dos pródomos da vida organizada. Logo em seguida, surge o desenvolvimento das grandes raças que, como grandes quadros, enfeixam assuntos e serviços, que dizem respeito à evolução do espírito domiciliado na Terra.

Assim, depois desses 60 a 64 mil anos de reorganização de nossa Casa Planetária, temos sempre grandes transformações, de 28 em 28 mil anos. Depois do período dos 64 mil anos, tivemos duas raças na Terra, cujos traços se perderam, por causa de seu primitivismo. Logo em seguida, podemos considerar a grande raça Lemuriana, como portadora de urna inteligência algo mais avançada, detentora de valores mais altos, nos domínios do espírito. Após a raça Lemuriana - em seguida aos 28.000 anos de trabalho lemuriano propriamente considerado - chegamos ao grande período da raça Atlântida, era outros 28.000 anos de grandes trabalhos, no qual a inteligência do mundo se elevou de maneira considerável.

Achamo-nos, agora, nos últimos períodos da grande raça Ariana.

Podemos considerar essas raças, como grandes ciclos de serviços, em que somos chamados de mil modos diferentes, em cada ano de nossa permanência na crosta do planeta, ou fora dela, ao aperfeiçoamento espiritual, que é o objetivo de nossas lutas, de nossos problemas, de nossas grandes questões, na esfera de relações, uns para com os outros.

Assim considerando, será mais significativo e mais acertado, para nós, venhamos a estudar a transformação atual da Terra sob um ponto de vida moral, para que o serviço espiritual, confiado às nossas mãos e aos nossos esforços, não se perca em considerações, que podem sofrer grandes alterações, grandes desvios; porque o serviço interpretativo da filosofia e da ciência está invariavelmente subordinado ao Pensamento Divino, cuja grandeza não podemos perscrutar.

Cabe-nos, então, sentir, e, mais ainda, reconhecer, que os fenômenos da vida moderna e as modificações que nosso "habitat" terreal vem apresentando nos indicam a vizinhança de atividades renovadoras, de considerável extensão. Daí esse afluxo de revelações da vida extra-terrestre, incluindo sobre as cogitações dos homens; esses apelos reiterados, do mundo dos espíritos; essa manifestação ostensiva, daqueles que, supostamente mortos na Terra, são vivos na eternidade, companheiros dos homens em outras faixas vibratórias do campo em que a humanidade evolui. Toda essa eclosão de notícias, de mensagens, de avisos da vida espiritual, devem significar para o homem, domiciliado na Terra do presente século, a urgência do aproveitamento das lições de JESUS. Elas devera ser apreciadas em si mesmas, e examinadas igualmente no exemplo e no ensinamento de todos aqueles que, em variados setores culturais, políticos e filosóficos do globo - lhe traduzem a vontade divina, que na essência é sempre a nossa jornada para o Supremo Bem.

Os termos da comunicação obtida em Curitiba (a "Conexão de Profecias", de Ramatis) são de admirável conteúdo para a nossa inteligência, de vez que, realmente, todos os fatos alusivos à evolução da Terra, e referentes a todos os eventos, que se relacionam com a nossa peregrinação para a vida mais alta, estão naturalmente planificados, por aqueles ministros de Nosso Senhor Jesus Cristo; os quais, de acordo com Ele, estabelecem programas de ação para a coletividade planetária, de modo a facilitar-lhe os vôos para a divina ascensão. Embora, porém, esta mensagem, por isso mesmo, seja digna de nosso melhor apreço, contudo, na experiência de companheiro mais velho, recomenda-nos nosso Orientador Espiritual (Emmanuel) um interesse mais efetivo, para a fixação de valores morais em nossa personalidade terrena, de conformidade com os padrões estabelecidos no Evangelho de nosso Divino Mestre. Porque, para nossa inteligência, os fenômenos renovadores da existência que nos cercam têm qualquer coisa de sensacional, de surpreendente, nosso coração de inclinar-se, humilde, diante da Majestade do Senhor, que nos concede tantas oportunidades de trabalho, em nós mesmos, a revelação dos grandes acontecimentos porvindouros; novo soerguimento íntimo, novo modo de ser, a fim de que estejamos realmente habilitados a enfrentar valorosamente as lutas que se avizinham de nós, e preparados para desfrutar a Nova Era que, qual bonança depois da tempestade, facilitará nossos círculos evolutivos.

Será, todavia, muito importante encarecer, que não devemos reclamar, do terceiro milênio, uma transformação absolutamente radical, nos processos que caracterizam, por enquanto, a nossa vida terrestre. O prazo de 47 anos é diminuto, para sanar os desequilíbrios morais, de tantos séculos, em que o nosso campo coletivo e individual adquiriu tantos débitos, diante da sabedoria e diante do amor, que incessantemente apelam para nossa alma, no sentido de nos levantarmos, para uma clima mais aprimorado da existência. Não podemos esquecer, que grandes imensidades territoriais, na América, na África e na Ásia, nos desafiam a capacidade de trabalho. Não podemos olvidar, também, que a Europa, superalfabetizada, se encontra num Karma de débitos clamorosos, à frente da Lei, em doloroso expectação, para o reajuste moral, que lhe é necessário.

Aqui mesmo, no Brasil, numa nação com capacidade de asilar novecentos (900) milhões de habitantes, em quatrocentos e alguns anos de evolução, mal estamos -os espíritos, encarnados na Terra em que temos a bênção de aprender ou recapitular a lição do Evangelho - mal estamos passando das faixas litorâneas. Serviços imensos esperam por nossas almas no futuro próximo. E, se é verdade que devemos aguardar, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, condições mais favoráveis para a estabilização da saúde humana, para o acesso mais fácil às fontes da ciência; se nos compete a obrigação de esperar o melhor para o dia de amanhã cabe-nos, igualmente, o dever de não olvidar que, junto desses direitos, responsabilidades constringentes contam conosco, para que o Mundo possa, efetivamente, atender ao programa Divino, através, não somente da superestrutura do pensamento científico - que é hoje um teto brilhante para os serviços de inteligência do mundo - mas também, através de nossos corações, chamados a plasmar uma vida, que seja realmente digna de ser vivida por aqueles que nos sucederão nos tempos duros; entre os quais, naturalmente, milhões de nós os reencarnados de agora, formaremos, de novo, como trabalhadores que voltam para o prosseguimento da tarefa de auto acrisolamento, para a ascensão sublime, que o Senhor nos reserva.

Considerando, assim, a questão sob este prisma, cabe-nos contar com o concurso da ciência, no setor das observações de ordem material; com a evolução dos instrumentos de óptica; com o avanço dos processos de exame, na esfera da química planetária, na qual os mundos podem ser analisados, como átomos da amplidão de universos, que se sucedem uns aos outros, no infinito da Vida. Será lícito, então, esperar que certas afirmativas, referentes a vida material, se positivem satisfatoriamente, para mais altas concepções da mente planetária; de vez que, muito breve, o homem estará ligado à glória da religião cósmica, da Religião do Amor e da Sabedoria, que o cristianismo renascente, no Espiritismo de hoje, edificará para a Humanidade, ajustando-a ao concerto de bênçãos, que o grande porvir nos reserva.

Pergunta: - Foi, de fato, há 37.000 anos que submergiu a Atlântida?

Chico Xavier: - Diz nosso Amigo (Emmanuel) que o cálculo é, aproximadamente, certo, considerando-se que as últimas ilhas, que guardavam os remanescentes da civilização Atlântida, submergiram, mais ou menos, 9 a 10 mil anos, antes da Grécia de Sócrates.

Pergunta: - Poderíamos ter alguns informes a respeito de Antúlio?

Chico Xavier: - Vejo, aqui, nosso diretor espiritual, Emmanuel, que nos diz que um estudo acerca da personalidade de Antúlio exigiria minudências relacionadas com a história, no espaço e no tempo, que, de imediato, não podemos realizar. De modo que, tão somente, pode afiançar-nos que se trata de uma entidade de elevada hierarquia, no plano espiritual; vamos dizer; um assessor, ou um daqueles assessores, que servem nos trabalhos de execução do plano divino, confiado ao Nosso Senhor Jesus Cristo, para a realização do progresso da Terra, em geral.

Esclarece nosso amigo que Jesus Cristo, como governador de nosso mundo, no sistema solar, conta, naturalmente, com grandes instrutores, para a evolução física e para a evolução espiritual, na organização planetária. E, subordinados a esses ministros, para o progresso da matéria e do espirito, no plano que nós habitamos presentemente, conta Ele com uma assembléia de múltiplos instrutores, de variadas condições, que lhe obedecem as ordens e instruções, numa esfera, cuja elevação, de momento, escapa à nossa possibilidade de apreciação. Antúlio forma no quadro destes elevados servidores.

Pergunta: - Acha nosso irmão que a Mensagem de Ramatis deva ser divulgada com amplitude?

Chico Xavier: - Diz nosso Orientador que a Mensagem é de elevado teor... E todo trabalho organizado com o respeito, com o carinho e com a dignidade, dentro dos quais essa Mensagem se apresenta, merece a nossa mais ampla consideração, de vez que todos nós, em todos os setores, somos estudiosos, que devemos permutar as nossas experiências e as nossas conclusões para a assimilação do progresso, com mais facilidade em favor de nós mesmos."


segunda-feira, 31 de outubro de 2016

CIENTISTAS descobrem MÚSICA que REDUZ a ANSIEDADE e o ESTRESSE em até 65%


Os efeitos positivos que a música pode causar em nossos cérebros são muito bem documentados, como também são os efeitos negativos que o estresse e a ansiedade podem ter em nós.  É por isso que o Dr. David Lewis-Hodgson, da Mindlab International, decidiu conduzir uma pesquisa para encontrar músicas que você deveria ouvir para encarar o estresse e a ansiedade.

O estudo foi conduzido em participantes que estavam tentando resolver quebra-cabeças difíceis, o mais rápido possível.  Os quebra-cabeças foram projetados para induzir o estresse, e os participantes foram colocados para escutar uma variedade de músicas, a fim de ver como elas ajudariam a acalmar a taxa de batimento cardíaco, a pressão sanguínea e a taxa de respiração.

Uma música — Weightless por Marconi Union — reduziu os níveis de estresse e ansiedade em até 65%, e produziu tal estado de euforia que Lewis-Hodgson aconselhou que ninguém deveria escutar esta música quando estivesse dirigindo, porque ela fez com que os participantes ficassem sonolentos.

A música é esta aqui:


A redução do estresse está mais importante do que nunca.  Um trabalho recente das Universidades de Harvard e Stanford mostrou que problemas de saúde ativados pelo estresse no trabalho causam mais mortes do que a diabetes ou gripe.

Por muito tempo a música tem sido usada como terapia para ajudar acalmar os pacientes, mas Lewis-Hodgson acha que você deveria ser capaz de se acalmar em qualquer lugar e momento também. Aqui está uma lista das 10 músicas mais relaxantes que ele pesquisou:

10. We Can Fly, por Rue du Soleil (Café Del Mar)

9. Canzonetta Sull’aria, por Mozart

8. Someone Like You, por Adele

7. Pure Shores, por All Saints

6. Please Don’t Go, por Barcelona

5. Strawberry Swing, por Coldplay

4. Watermark, por Enya


2. Electra, por Airstream

1. Weightless, por Marconi Union

Aqui está a ‘playlist‘ de todas as músicas se você precisar de ajuda para enfrentar seu dia agora:


Fonte

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Estamos Todos Interligados!


Estamos todos interligados, mas como tudo isto pode acontecer?

Isto é chamado de física quântica e é muito difícil de explicar, mas deixe-me dar alguns exemplos de experimentos que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos executou em 1998, os quais deixaram os cientistas chocados.

Os cientistas rasparam células do céu da boca de um voluntário e as colocaram num tubo de ensaio, conectando o tubo de ensaio à um detector de mentiras, ou polígrafo. Então, eles conectaram o sujeito à um polígrafo, mas em uma área totalmente diferente do prédio.

Ao voluntário, foram mostrados vários tipos de programas num televisor. Programas pacíficos, tranquilos, como também violentos e estimulantes.

O que eles descobriram foi que as células do indivíduo registraram exatamente as mesmas atividades, no instante exato, como as do sujeito.

Quando o indivíduo assistia programas calmos, a reação psicológica tanto do indivíduo quanto das células era a de calma. Quando os programas eram mudados para um material mais estimulante, tanto o indivíduo, quanto as células mostravam um despertar fisiológico.

Os pesquisadores continuaram os testes com diferentes indivíduos e suas células, cada vez mais longe uns dos outros, até a distância de 80 quilômetros.

Já havia se passado 5 dias desde que as células haviam sido raspadas do céu da boca do sujeito, e elas ainda estavam registrando exatamente a mesma atividade, no exato mesmo momento.


Outro experimento

Um outro experimento com efeitos muito similares, mas com dois indivíduos ao invés de células da própria pessoa, foi chamado de experimento Einstein-Podolsky-Rosen.

Neste estudo, eles utilizaram dois indivíduos que eram completamente estranhos um ao outro, e os deram alguns minutos para se conhecerem superficialmente, e então os separaram à uma distância de 15 metros, cada um numa gaiola de Faraday (gaiola eletromagnética). Uma gaiola de Faraday é projetada para prevenir a radio frequência e outros sinais de lá entrarem ou saírem.

Uma vez dentro de uma gaiola de Faraday, eles conectaram ambos os indivíduos à um equipamento de eletroencefalograma (EEG), o qual monitora as atividades neurológicas.

Eles apontaram uma lanterna nos olhos do primeiro sujeito, mas não do outro.

O ato de apontar uma luz nos olhos de alguém causa uma atividade neurológica mensurável e constrições visíveis das pupilas.

No instante que eles fizeram isto, a atividade neurológica de ambos os sujeitos mostrou-se a mesma no EEG, bem como uma constrição pupilar.

Ele trocaram os sujeitos e os separaram ainda mais longe, obtendo o mesmo resultado.

Em adição à esta simples pesquisa, o Dr. Larry Dossey pessoalmente compilou mais de 130 estudos sobre o poder de cura à distância da oração, e está convencido que isto funciona.

Ele diz que “após escrutinar esta massa de dados por quase duas décadas, venho a considerar isto como um dos segredos mais bem mantidos na ciência médica. Estou convencido que efeitos distantes, não locais, são reais, e a cura ocorre.”

Estes e muitos outros experimentos comuns mostram que todos nós estamos conectados de formas que nunca havíamos percebido, formas que chocam nossas mentes.

O experimento controverso provou que todos nós estamos conectados, além do espaço.

Estamos constantemente transferindo informação a nível do subconsciente, mesmo com pessoas com as quais estamos somente superficialmente conectados.

Não devemos ter medo disto.  Esta é somente uma forma como o Universo funciona e sempre tem funcionado.

Estamos reformulando e re-criando um ao outro e não há como escapar desta lei. Somente podemos aprender a usar esta lei para nosso benefício mútuo.

Tornar-se melhor do que você era ontem, significa que você literalmente torna melhor todo mundo com quem você entra em contato.  É assim que todos nós crescemos e progredimos.  É assim que todos nós estamos conectados.

É por isto que fazendo o bem para outras pessoas, nos faz sentir maravilhosos. Porque, na verdade, estamos estimulando a nós mesmos de fora para dentro, ao nível quântico, para nos sentirmos melhores.


terça-feira, 18 de outubro de 2016

As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu - [FILME COMPLETO]

"Não se pode separar uma vida da outra, assim como não se separa a brisa do vento..."

Eddie é um veterano de guerra de cabelos grisalhos, prisioneiro de uma vida inexpressiva de mecânico de brinquedos em um parque de diversões à beira-mar.

Assim como o parque passou por transformações ao longo dos anos - do Trem Fantasma ao Toboágua -, a vida de Eddie também mudou, de uma juventude otimista a uma velhice amargurada. Seus dias são feitos de uma monótona rotina de trabalho, solidão e arrependimento.

Até que no dia do seu aniversário de 83 anos, Eddie morre num acidente trágico, tentando salvar uma menina de um carro que despenca da torre. Em seu suspiro final, ele sente duas mãozinhas nas suas - e nada mais. Acorda já na outra vida, onde aprende que o céu não é um Jardim das Delícias, mas um lugar onde nossa vida na Terra nos é explicada por cinco pessoas que dela tomaram parte.

Entes queridos, conhecidos ou estranhos, cada um desses personagens está, de alguma forma, ligado a acontecimentos que a influenciaram para sempre.

Uma a uma, as cinco pessoas vão esclarecendo as conexões ocultas da vida de Eddie. À medida que a história evolui para a sua surpreendente conclusão, Eddie busca desesperadamente a redenção no último ato de sua vida, cujo resultado ele ainda desconhece: terá sido um sucesso heroico ou um retumbante fracasso?

Assista abaixo: