quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O Perigo de uma IMAGINAÇÃO INDISCIPLINADA

"Consideremos o caso de um homem que anseia por bebida. Ele conhece o sofrimento que a sua fraqueza lhe ocasiona; sabe que utiliza mal seu salário e deixa sua família à míngua; e, em seus momentos de lucidez, resolve abandonar aquele vício. Então ele passa por diante de uma taberna, vê sair e entrar gente, e talvez ainda sinta o odor de bebida. Até aquele momento, esteve livre da tentação e da consequente luta. Mas, que sucede agora? Naquela fração de segundo, se imagina bebendo - cria uma imagem mental; e por um momento vive e atua naquela forma mental como se, com efeito, usufruísse da bebida. Experimenta a possível satisfação de sua ânsia, mas em realidade não faz mais que intensificá-la, tornando a ação quase inevitável. Uma vez produzida a imagem, evoca tardiamente sua vontade dizendo: 'Não quero fazer isso'. Mas já é demasiado tarde, e a luta é praticamente em vão. Uma vez criada a imagem mental, segue-se geralmente a consumação da mesma em ação. Sem dúvida, às vezes, a imagem não é bastante vigorosa, e é possível repeli-la. Mas mesmo assim há luta, desgaste dos corpos e sofrimento como resultado. O melhor caminho é impedir que se forme a criadora imagem mental e intervir quando ainda seja eficaz a intervenção.

A imaginação indisciplinada causa sofrimentos mais graves do que se supõe. As inumeráveis ocasiões em que tantos não puderam dominar suas paixões, especialmente a luxúria, foram resultado de uma imaginação indisciplinada e não de uma vontade fraca. Pode-se sentir um forte desejo, mas é o pensamento criador que acarretará a ação.

A maioria das pessoas não dá importância a suas imaginações, devaneios ou pensamentos, e pensam que eles sejam inofensivos por não serem tangíveis ou visíveis à visão ordinária. Contudo, constituem o único perigo. A quem experimente um intenso desejo sexual, não haverá perigo em ver ou pensar no objeto de seu desejo, a menos que ao pensamento acompanhe a imagem mental de estar saciando seu apetite. O risco começa quando se imagina a si mesmo em ato de satisfação do desejo e quanto se consente que o desejo fortaleça a imagem criada. 

Um homem pode estar rodeado de objetos de desejo e, contudo, não experimentar perturbação nem dificuldade alguma, contanto que não permita que sua imaginação, seu poder mental criador, reaja a tais objetos. Nunca temos suficiente percepção de que os objetos de desejo não têm por si poder algum, a menos que nos permitamos reagir a eles, a menos que busquemos saciá-los em imagens criadoras. Mas, uma vez que o tenhamos feito, a luta sobrevém certamente. Consideramos o que pensamos como nossa vontade, e tentamos escapar dos resultados de nossa própria imaginação por meio de uma resistência frenética. Poucos compreenderam que a resistência agitada e ansiosa inspirada pelo medo é algo muito diferente da Vontade."

(J. J. Van Der Leeuw - Deuses no Exílio - Ed. Teosófica, Brasília, 2013 - p. 29/30)

A Verdadeira História de SÃO COSME E SÃO DAMIÃO


Os Santos Cosme e Damião, irmãos gêmeos, morreram por volta de 300 d.C. Crê-se que foram médicos, e sua santidade é atribuída pelo motivo de haverem exercido a medicina sem cobrar por isso, devotados à fé. Na Igreja Católica sua festa é celebrada no dia 26 de setembro, de acordo com o atual Calendário Litúrgico Romano do Rito Ordinário, e no dia 27 de setembro, pelo Calendário Litúrgico Romano do Rito Extraordinário. Na Igreja Ortodoxa são celebrados no dia 1 de novembro e também em 1 de julho pelos ortodoxos gregos. Nas religiões afro-brasileiras, onde são sincretizados como entidades infantis, também são festejados em 27 de setembro.


BIOGRAFIA

Os gêmeos nasceram em Egeia (agora Ayas, no Golfo do İskenderun, Cilícia, Ásia Menor), e tinham outros três irmãos. O pai foi mártir durante a perseguição dos cristãos na era de Diocleciano. Cosme e Damião eram médicos que curavam os enfermos não só com seu saber mas através de milagres propiciados por suas orações. Seus nomes verdadeiros eram Acta e Passio. Sua mãe se chamava Teodata, e também é venerada como santa pelos ortodoxos.

Os gêmeos praticavam a medicina em Egeia e alcançaram, por isso, grande reputação. Não aceitavam nenhum pagamento por seus serviços e foram por isso chamados de anargiras (em grego antigo: Ανάργυροι anargyroi - avessos ao dinheiro). Dessa forma, eles trouxeram muitos novos adeptos para a fé cristã. Quando a perseguição de Diocleciano começou, o prefeito Lísias mandou prender Cosme e Damião e ordenou-lhes que se retratassem. Eles se mantiveram constantes sob tortura e de forma milagrosa não sofriam nenhum ferimento por água, fogo, ar, nem mesmo na cruz, até que foram decapitados por uma espada. Seus três irmãos, Antimo, Leôncio e Euprepio também morreram como mártires com eles. A execução ocorreu em 27 setembro, provavelmente entre 287/303 d.C..

Mais tarde, surgiu uma série de relatos fabulosos sobre os gêmeos ligadas em parte às suas relíquias. Os restos mortais dos mártires estavam enterrados na cidade de Ciro, na Síria; o imperador Justiniano I (527-565) suntuosamente restaurou a cidade em sua honra, depois de ter sido curado de uma doença perigosa por intercessão de Cosme e Damião. Justiniano reconstruiu e decorou a igreja dos mártires em Constantinopla, que veio a se tornar um lugar famoso de peregrinação. Em Roma, o Papa Félix IV (526-530) edificou uma igreja em sua honra.

A Igreja grega celebra a festa dos santos Cosme e Damião em 1 de Julho, 17 de Outubro e 1 de Novembro e venera três pares de santos com o mesmo nome e profissão. Cosme e Damião são considerados os patronos dos médicos e cirurgiões e por vezes são representados por emblemas médicos. Eles são invocados no Cânon da Missa e na Ladainha de Todos os Santos.

O O Antigo Martirológio Inglês (The Old English Martyrology) conta a seguinte lenda:

Milagre atribuído a SS. Cosme e Damião:
um sacristão tinha uma perna gangrenada;
enquanto dormia, os Santos amputaram-lhe
a perna doente e substituíram-na pela
de um etíope recém sepultado, curando-o.
Quando eles curaram uma senhora de uma grave enfermidade, ela secretamente trouxe a Damião um pequeno presente; os textos dizem que eram três ovos. E então ela suplicou em nome de Deus que ele os aceitasse então Damião os guardou. Cosme ficou tão triste por causa isso que pediu para quando morressem seus corpos não fossem sepultados juntos. Então na mesma noite, o Senhor apareceu para Cosme e disse: "Por que dissestes aquilo pelo presente que Damião recebeu? Ele não o recebeu como pagamento, mas porque lhe foi pedido em meu nome."(...) Quando foram martirizados, os homens que acolheram seus corpos estavam indecisos sobre onde deveriam sepultá-los em separado por causa do que Cosme havia dito, até que surgiu um camelo e disse em voz humana: "Não separem os corpos dos santos, sepultem-nos juntos."


CULTO

A primeira e mais antiga associação médica da Europa a reunir cirurgiões foi a Confrerie et College de Saint Côme, em Paris, 1226, que durou até a Revolução Francesa.

Portugal

No século XIX, os mártires ainda eram padroeiros de confrarias médicas, para obter o título de doutor em Coimbra, pagavam-se emolumentos para a Irmandade de S. Cosme.

Brasil
O culto aos gêmeos mártires foi trazido para o Brasil em 1530 por Duarte Coelho Pereira e tornaram-se padroeiros de Igarassu, em Pernambuco. No nordeste brasileiro passaram a ser invocados para afastar o contágios de epidemias. Os negros bantos identificaram Cosme e Damião como os orixás Ibejis em um sincretismo religioso.


SINCRETISMO

Semelhanças com a Mitologia Grega

Na mitologia grega, há muito se cultuava esses santos, havendo registros, desde o século V, quando esse culto já estava estabilizado no Mediterrâneo, de cultos que relatam a existência, em seus cultos, de um óleo santo, atribuído a Cosme e Damião, e que tinha o poder de curar doenças e dar filhos às mulheres estéreis.

Alguns grupos concentram seus esforços para demonstrar que Cosme e Damião não existiram de fato, que eram apenas a versão cristã da lenda dos filhos gêmeos de Zeus, Castor e Pólux. Esta versão é combatida por aqueles que acreditam na real existência dos irmãos, embora a superstição que o povo tem muitas vezes faça supor que haja uma adaptação do costume pagão.

Relação com as Religiões Afro-Brasileiras

O dia de São Cosme e Damião é celebrado também pelo Candomblé, Batuque, Xangô do Nordeste, Xambá e pelos centros de Umbanda onde são associados aos ibejis, gêmeos amigos das crianças que trazem bem estar por onde passam , possuem conhecimento de desfazer feitiços e auxiliam na cura de enfermidades e trazem alegria , deixando harmonia e felicidade no ambiente a sua volta ,(descarregando o ambiente de energias densas), trabalham na caridade , auxiliam principalmente , pessoas em situações de desamparo, fragilizadas , como crianças , idosos , enfermos e como trazem a energia alegre leve e inocente das crianças consigo , gostam de doces , frutas doces e guloseimas. O nome Cosme significa "o enfeitado" e Damião, "o popular".

Estas religiões os celebram no dia 27 de setembro, enfeitando seus templos com bandeirolas e alegres desenhos, tendo-se o costume, principalmente no Rio de Janeiro, de dar doces e brinquedos às crianças que lotam as ruas em busca dos agrados. Na Bahia, as pessoas comemoram oferecendo caruru, vatapá, doces e pipoca para a vizinhança.


DATA DA CELEBRAÇÃO

Basílica de São Cosme e Damião, em Roma,
sede da diaconia de 
Ss. Cosma e Damiano.
A Igreja Católica Apostólica Romana, desde tempos imemoriáveis até o Calendário Romano de 1962, que vigorou até 1969, celebrava a festa de santos Cosme e Damião no dia 27 de setembro. Porém, em 1969, com a reforma litúrgica, o Calendário Romano passou a comemorá-los no dia 26, pois, considerada a importância de São Vicente de Paulo, também celebrado dia 27, preferiram não pôr as duas Memórias na mesma data. São Vicente ficou com o dia 27, já que era a data sabida de sua morte; já Santos Cosme e Damião, como não se sabe a data de morte deles, tiveram sua Memória movida para o dia 26 de setembro. Ainda assim, católicos tradicionalistas, devotos mais antigos e as religiões afro-brasileiras que também os cultuam, como o Candomblé e a Umbanda, continuam a comemorá-los no dia 27. Apesar da mudança na Igreja Católica, ao menos no Brasil, por conta da tradição, populares continuam fazendo comemorações no dia 27 de setembro.

Cosme e Damião também são celebrados pela Igreja Ortodoxa, mas há três pares de santos Cosme e Damião celebrados por essa Igreja. O mais comumente associado a santos Cosme e Damião médicos na Síria é celebrado em 1º de novembro, como Santos Cosme e Damião da Ásia Menor. Mas há uma celebração em 17 de outubro, de Santos Cosme e Damião da Cilícia, e outra em 1º de julho, de Santos Cosme e Damião de Roma. Os três pares são da classe dos santos anárgiros, isto é, "desapegados do dinheiro", o que faz com que se pense que os três se referem ao mesmo par.

São considerados no Brasil os Santos padroeiros dos Farmacêuticos e Médicos. A bonita história de São Cosme e São Damião — que por sua vez é marcada por visões diferentes, dependendo da crença de cada religião — demonstra a complementaridade e interdependência que as profissões irmãs, a medicina e a farmácia, possuem. Talvez o sucesso atribuído às curas milagrosas dos irmãos gêmeos, na idade média, nada mais fosse do que a antecipação da divisão do trabalho, ocorrida apenas no século XIII, onde a farmácia foi separada oficialmente da medicina e considerada uma profissão.


domingo, 27 de agosto de 2017

ÉTICA - A Restauração da Harmonia


"Embora haja atualmente uma tendência hesitante de retornar à noção de cidadania, a maioria das pessoas ainda considera qualquer conversa sobre ética e moral como algo ultrapassado.

Considerando os problemas que confrontam a humanidade, instrutores espirituais, através dos séculos, têm enfatizado a necessidade de uma transformação fundamental no indivíduo por meio da ética, assegurando que, de outro modo, qualquer reforma política ou social está condenada ao fracasso.

Realmente, os problemas do mundo moderno não são diferentes, em sua natureza, daqueles que caracterizaram os séculos passados. Guerra, violência, barbarismo, corrupção, exploração dos fracos, o abismo entre ricos e pobres - essas coisas sempre existiram. A natureza dos problemas da humanidade e a causa de todos os conflitos e sofrimentos permaneceram fundamentalmente inalterados. A solução está no próprio homem e não nas suas condições de vida; nas suas respostas às situações, não nas situações em si. A única solução válida e duradoura deve ser buscada na autotransformação, não em mudanças na sociedade.

As raízes da violência, da corrupção e da irresponsabilidade social estão dentro de cada um de nós. A ética nada tem a ver com considerações exteriores. É independente de tempo e espaço, situa-se além dos modismos e das civilizações. Ela deriva da sabedoria antiga e da natureza essencial do homem. De acordo com os ensinamentos teosóficos, a vida é una; todo o universo manifestado é a expressão diferenciada da vida una, e não a justaposição de uma multidão de vidas separadas.

O senso de separação é uma ilusão primitiva, que origina todos os comportamentos errados do homem. O remédio está em compreender a unidade da vida. Se o conceito da origem comum da humanidade, não apenas em nível físico, mas especialmente nos níveis da alma e do espírito, estiver 'profundamente enraizado em nossos corações, nos levará longe da estrada da verdadeira caridade e da boa vontade fraterna'.

O princípio da unidade pode parecer muito distante das nossas preocupações diárias. É necessário juntar a ele um outro princípio derivado, o da interdependência. A aparente multiplicidade do mundo manifestado é, na realidade, uma grande rede de interdependência, destinada a funcionar em perfeita harmonia. A ilusão de separação nascida da mente humana e os caprichos de independência desequilibram dolorosamente toda a rede.

Devido à Lei do Carma - outro importante princípio dos ensinamentos teosóficos -, todo desequilíbrio deve ser compensado para restaurar o equilíbrio, o que também pode ser doloroso. Assim, surgem e se perpetuam os problemas que afetam a humanidade e todo o universo.

A ética é um meio para restaurar o equilíbrio da natureza, colocando em prática os princípios fundamentais dos ensinamentos teosóficos: a unidade universal, a solidariedade humana, o carma e a reencarnação, que são, de acordo com H. P. Blavatsky, 'os quatro elos da corrente de ouro que deve unir toda a humanidade numa única família, uma fraternidade universal'.

Perceber que a vida é una significa compreender que não há qualquer ação estritamente individual, e sim um movimento vasto e combinado. Há ação e reação imediata entre o indivíduo e todo o universo manifestado. Talvez seja difícil admitir que cada ser humano contribui para o bem-estar ou a desventura de toda a sociedade, para não mencionar o universo.

A ética não é um código moral imposto de fora, um conjunto de regras estipulando o que fazer ou não fazer: não é a obediência a uma autoridade política ou a um Deus que fica sentado a nos julgar. A harmonia não surge por meio de pressões externas. É um esforço para observar, entender e despertar interiormente.

As morais sociais e religiosas levam, via de regra, a um aumento da autoafirmação. A ética espiritual passa longe de ambas sugerindo um 'caminho do meio': não o ascetismo, mas a moderação; não as virtudes, mas o autoesquecimento. A ética é a expressão prática de valores fundamentais, sem os quais não é possível qualquer felicidade para a humanidade: a unidade da vida, a interdependência e a responsabilidade mútua.

O respeito pelos outros, os relacionamentos harmoniosos e o altruísmo expressam esses princípios na nossa vida diária, que consiste de relacionamentos. A ética nada tem a ver com exibições de heroísmo, e sim com um modo de vida simples, correto e equilibrado. Isso porá fim à inquietação da personalidade, que obstrui a manifestação das qualidades espirituais."

Danielle Audoin 
- Ética: a restauração da harmonia - 
Revista Sophia, Ano 2, nº 6


Ser e Iluminação

"Existe uma Vida Única, eterna e sempre presente, além das inúmeras formas de vida sujeitas ao nascimento e à morte. Muitas pessoas empregam a palavra Deus para descrevê-la, mas eu costumo chamá-la de Ser. Tanto 'Deus' quanto 'Ser' são palavras que não explicam nada. 'Ser', entretanto, tem a vantagem de sugerir um conceito aberto. Não reduz o invisível infinito a uma entidade finita. É impossível formar uma imagem mental a esse respeito. Ninguém pode reivindicar a posse exclusiva do Ser. É a sua essência, tão acessível como sentir a sua própria presença. Portanto, a distância é muito curta entre a palavra 'Ser' e a vivência do Ser. 

O SER NÃO ESTÁ apenas além, mas também dentro de todas as formas, como a mais profunda, invisível e indestrutível essência interior. Isso significa que ele está ao seu alcance agora, sob a forma de um eu interior mais profundo, que é a verdadeira natureza dentro de você. Mas não procure apreendê-lo com a mente. Não tente entendê-lo. 

Só é possível  conhecê-lo quando a mente está serena. Se estiver alerta, com toda a sua atenção voltada para o Agora, você até poderá sentir o Ser, mas jamais conseguirá compreendê-lo mentalmente.

Recuperar a consciência do Ser e submeter-se a esse estado de 'percepção dos sentidos' é o que se chama iluminação.

A palavra iluminação transmite a ideia de uma conquista sobre-humana - e isso agrada ao ego -, mas é simplesmente o estado natural de sentir-se em unidade com o Ser. É um estado de conexão com algo imensurável e indestrutível. Pode parecer um paradoxo, mas esse 'algo' é essencialmente você e, ao mesmo tempo, é muito maior do que você. A iluminação consiste em encontrar a verdadeira natureza por trás do nome e da forma.

A incapacidade de sentir essa conexão dá origem a uma ilusão de separação, tanto de você mesmo quanto do mundo ao redor. Quando você se percebe, consciente ou inconscientemente, como um fragmento isolado, o medo e os conflitos internos e externos tomam conta da sua vida. 

O maior obstáculo para vivenciar essa realidade é a identificação com a mente, o que faz com que estejamos sempre pensando em alguma coisa. Ser incapaz de parar e pensar é uma aflição terrível, mas ninguém percebe porque quase todos nós sofremos disso e, então, consideramos uma coisa normal. O ruído mental incessante nos impede de encontrar a área de serenidade interior, que é inseparável do Ser. Isso faz com que a mente crie um falso eu interior que projeta uma sombra de medo e sofrimento sobre nós.

A identificação com a mente cria uma tela opaca de conceitos, rótulos, imagens, palavras, julgamentos e definições, que bloqueia todas as relações verdadeiras. Essa tela se situa entre você e o seu eu interior, entre você e o próximo, entre você e a natureza, entre você e Deus. É essa tela de pensamentos que cria uma ilusão de separação, uma ilusão de que existem você e um 'outro' totalmente à parte. Esquecemos o fato essencial de que, debaixo do nível das aparências físicas, formamos uma unidade com tudo aquilo que é.

Se for usada corretamente, a mente é um instrumento magnífico. Entretanto, quando a usamos de forma errada, ela se torna destrutiva. Para ser ainda mais preciso, não é você que usa a sua mente de forma errada. Em geral, você simplesmente não usa a mente. É ela que usa você. Essa é a doença. Você acredita que é a sua mente. Eis aí o delírio. O instrumento se apossou de você.

É quase como se algo nos dominasse sem termos consciência disso e passássemos a viver como se fôssemos a entidade dominadora.

A LIBERDADE COMEÇA quando você percebe que não é a entidade dominadora, o pensador. Saber disso permite observar a entidade. No momento em que você começa a observar o pensador, ativa um nível mais alto de consciência.

Começa a perceber, então, que existe uma vasta área de inteligência além do pensamento e que este é apenas um aspecto diminuto da inteligência. Percebe também que todas as coisas realmente importantes, como a beleza, o amor, a criatividade, a alegria e a paz interior, surgem de um ponto além da mente.

Você começa a acordar."

Eckhart Tolle
- Praticando o Poder do Agora -
Ed. Sextante, Rio de Janeiro, 2005
p. 15/16

Mantenha a Calma no Caos


"O treinamento que recebi de meu mestre, Sri Yukteswar, foi maravilhoso nesse sentido. Acontecesse o que acontecesse, ele não aceitava desculpas quando eu ficava mentalmente agitado. Eu costumava ir ao ashram e sentar-me a seus pés, para meditar e ouvir sua sabedoria. Quando chegava perto da hora do trem que me levaria de volta para casa, ele percebia meu desassossego e apenas sorria, sem me dar licença de partir. No começo, eu não achava aquilo razoável. Mas, depois de um período um tanto quanto tenso dessa disciplina, ele explicou: 'Não vejo com má vontade o fato de você aprontar-se a tempo para ir para a estação; mas digo que não há necessidade de ficar inquieto. Por que permitir que a agitação nervosa perturbe sua mente? Quando estiver comigo, esteja naturalmente calmo, e quando a hora do trem chegar, prepare-se calmamente para sair.' Ele me fez perder vários trens até que eu aprendesse a ser calmamente ativo e ativamente calmo.

É isso mesmo que você também precisa aprender. Em vez de correr em estado de agitação emocional para chegar a algum lugar e, uma vez lá, nada aproveitar por estar inquieto, procure ser mais calmo. Não existe justificativa para a agitação interior. Se você estiver sempre calmo, será também mais eficiente. E se quiser despertar deste mundo de sonho cósmico, precisa agir com serenidade- independentemente do que aconteça. Assim que a mente se inquietar, golpeie-a com a vontade e ordene que se acalme. Não faça tempestade em copo d'água por coisa alguma. Lembre-se: sempre que se preocupa, você intensifica a ilusão cósmica em seu interior."

Paramahansa Yogananda
- O Romance com Deus - 
Self-Realization Fellowship
p. 29/30

domingo, 20 de agosto de 2017

A Maravilhosa e Mítica SHAMBHALLA


Shambhalla, em sânscrito significa "lugar de paz", é uma localidade mítica, habitada por uma comunidade de seres perfeitos e semi-perfeitos que em silêncio e segredo são os guias da evolução da humanidade.

Segundo a lenda, somente os puros de coração podem viver em Shamballa. Ali desfrutam de completo bem estar e felicidade em uma existência sem sofrimento, sem angústia de desejos, sem doença ou velhice. Não há injustiças; as pessoas são belas e possuem faculdades psíquicas ou extra-sensoriais. São altamente avançadas sob todos os aspectos, do espiritual ao tecnológico, do artístico ao científico.

Os textos religiosos tibetanos descrevem a natureza física de Shambhalla com detalhes, com sua estrutura semelhante ao lótus de oito pétalas, onde oito regiões aparecem cercadas de montanhas. A capital é Kalapa. Os palácios são ornamentados com ouro, diamantes, corais e outras gemas preciosas. Cercado de picos recobertos de gelo, o conjunto, montanhas e palácios, são como uma jóia arquitetônica refletindo uma luz cristalina.

Uma tecnologia avançada é usada em Shambhalla; um palácio possui clarabóias que polarizam a luz e são como lentes de "telescópios" que servem também para estudar o Cosmos e a vida noutros mundos. Há milênios que os habitantes de Shambhalla usam veículos-naves que circulam nos subterrâneos através de um sistema complexo de túneis, alguns saindo para a superfície, tendo sido observados no céu em várias partes do Mundo.

Os Shambhallens possuem faculdades telepáticas e clarividência e o poder da levitação, podendo também projectar seu corpo astral para qualquer lugar, tendo a habilidade de se materializar ou desmaterializar perante o olhar comum dos humanos.

Nicholas Roerich, descreve Shamballah como estando "no meio de colossais montanhas perenemente nevadas, com vales luxuriantes e fontes de água quente”... Quanto ao seu acesso, Roerich refere que “nos contrafortes dos Himalaias existem muitas grutas que vão até grandes distâncias, sob o Kinchinjunga”, falando inclusive da “porta de pedra” mítica que nunca foi aberta porque ainda não chegou o tempo. Estas profundas passagens conduzem a Shambhalla – o vale maravilhoso".

Lama, fala-me de Shambhalla! 
- Mas vocês, os ocidentais, não sabem nada de Shambhalla – nem desejam saber nada. Provavelmente perguntas só por curiosidade; e pronuncias esse nome sagrado em vão. 
Lama, não pergunto por Shambhalla ao acaso. Em toda a parte as pessoas sabem desse símbolo, embora lhe dêem nomes diferentes...Todos sentimos como, sob símbolos secretos, um grande segredo se esconde. Verdadeiramente, o cientista ardente aspira a saber tudo sobre Kalachakra (ensinamentos de Buda).
- Poderá isso ser verdade quando alguns dos ocidentais profanam os nossos templos? Fumam dentro dos nossos santuários sagrados; não compreendem nem querem venerar a nossa fé e o nosso ensinamento. Ridicularizam e menosprezam os símbolos cujo significado não penetram. Se visitássemos os vossos templos, a nossa conduta seria completamente diferente, porque o vosso grande Bodhisattva, Issa (Jesus), é verdadeiramente um dos que foi exaltado. E nenhum de nós difamaria os ensinamentos da misericórdia e da retidão. 
Lama, só os muito ignorantes e estúpidos ridicularizariam os vossos ensinamentos… Porque é que acreditas que no ocidente não sabemos nada de Shambhalla?… Vês que estou a ler o Kalachakra. Sei que um espírito elevado, se estiver preparado e ouvir uma voz proclamando Kalagiya, é o chamamento de Shambhala. Sabemos que Tashi Lama visitou Shambhalla... Até sabemos a canção Mongol sobre Shambhalla. Quem sabe talvez até saibamos muitas coisas novas para ti.
O Lama estudou-nos com o seu olhar penetrante. Depois disse: 
- A Grande Shambhalla está nos confins do oceano. É o poderoso domínio celeste. Não tem nada que ver com a nossa Terra. Como e porquê vocês, pessoas da terra, têm interesse nisso? Só em alguns lugares, no longínquo Norte, se podem ver os resplandecentes raios de Shambhalla. 
Lama, conhecemos a grandeza de Shambhalla. E sabemos da realidade desse lugar indescritível. Mas também sabemos da realidade da Shambhala real. Sabemos como alguns altos Lamas foram a Shambhalla, como no seu caminho viram coisas habituais do mundo físico. Sabemos da história do Lama Buryat e de como ele foi acompanhado por uma passagem secreta… Mais ainda, nós mesmos vimos um posto numa fronteira branca uma das três vigias de Shambhalla. Por isso, não me fales só da Shambhalla celeste, fala-me também daquela da Terra; porque sabes, tão bem quanto eu, que a Shambhalla da terra está ligada à celeste. E nessa ligação os dois mundos se unem. 
O Lama ficou em silêncio.   
- Vens do ocidente e no entanto trazes notícias de Shambhalla. Verdadeiramente assim é: Provavelmente o raio da torre de Rigden-jyepo chegou a todos os países. Tal como um diamante, brilha a luz da torre de Shambhala. Ele está lá - Rigden-jyepo, infatigável, sempre vigilante nas causas da humanidade. Os seus olhos nunca se fecham. E no seu espelho mágico ele vê todos os acontecimentos da Terra"... (in Shambhalla, de Nicholas Roerich).


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Os Animais como Arquétipos de Poder

Cada animal traz seus talentos, ou uma essência espiritual, e através disso, cada um com sua própria medicina, transmite-nos sua sabedoria. 

Vamos conhecer alguns deles :

Alce (Elk): Estamina – Este é um remédio que nos ajuda a aplicar a nossa energia da melhor forma nos ajudando a otimizar as nossas forças para que não usemos mais do que o necessário.

Águia – Iluminação, a visão interior, invocada para poderes xamânicos, coragem, elevação do espírito a grandes alturas, orgulho, força independência e mobilidade. A águia voa sem medo entre o céu e a terra e nos ensina a encarar o medo natural que temos do desconhecido para podermos voa o mais alto que nossos corações queiram nos levar. Ela chega a viver até 70 anos. Mas, para chegar a essa idade, ela tem de tomar uma séria e difícil decisão por volta dos 40 anos.
Nessa idade, ela está com as unhas compridas e flexíveis, não conseguindo mais caçar suas presas para se alimentar; seu bico alongado e pontiagudo já está curvo; suas asas estão apontando contra o peito envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas; e voar já está se tornando tarefa difícil!
Então, a águia só tem duas alternativas: morrer… ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar 150 dias. Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e recolher-se em um ninho próximo a um paredão, onde ela não necessite voar. Após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico contra a rocha até conseguir arrancá-lo. Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas.
Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. E somente depois meses ela sai para seu famoso vôo de renovação. E poderá viver, então, por mais 30 anos.
É isso o que as vezes temos que fazer em nossas vidas. Nos resguardarmos por algum tempo e começar um processo de renovação,para que continuemos a voar um voo de vitória.

Aranha – A tecelã. Criatividade, a teia da vida, manifestação da magia de tecer nossos sonhos. A aranha tece a teia como tecemos a nossa realidade. Este remédio nos remete à lembrança de que somos nós que criamos a nossa própria realidade.

Baleia – Registros da Mãe Terra, sons que equilibram o corpo emocional, origens. Através do ritmo e padrões sonoros a baleia nos ensina e escutar a nossa voz interior, a entrarmos em contato com as nossas verdades pessoais e a termos sabedoria para sentir o pulsar do universo.

Beija-flor – Mensageiro da cura, amor romântico, claridade, graça, sorte, suavidade. O beija-flor se lança no mundo espalhando graça e beleza nos ensinando a apreciar as maravilhas e magias de nossa existência diária. Um dos maiores presentes que podemos obter seguindo seus ensinamentos, é o de entender os enigmas e os mistérios que envolvem as dualidades e contradições. É só observar o comportamento desse Animal em relação as plantas e flores para percebemos como a sua presença está relacionada a reprodução.
O BEIJA-FLOR pode voar em qualquer direção: para cima, para baixo, para esquerda, para a direita e também paralisar no ar, como se estivesse observando e preparando seu próximo passo. Sua presença é pura alegria e sempre provoca reações de admiração.
As pessoas que tem o BEIJA-FLOR como Animal de Poder, geralmente são pessoas agradáveis, alegres e que vivem rodeadas de amigos. Elas conseguem contagiar o ambiente com sua alegria e encontram sempre uma forma, uma maneira de fazer quem estiver ao seu redor se sentir renovado e feliz , pelo simples fato de estar vivo. Usando a astúcia, a inteligência, a graça e não só a força física, estão sempre procurando uma maneira para embarcar numa nova aventura e jornada.
Caso a tristeza se faça presente, procure preencher o seu coração com a alegria do BEIJA-FLOR.
Não deixe seu lado sombra tomar conta de você.
Ao sentir que seu coração se tornou duro, magoado e sem vontade para nada, procure andar pelos campos, pela mata, entre as flores e sinta os perfumes e odores que tanto atraem o BEIJA-FLOR e lhe proporcionam tanta alegria.

Borboleta – Auto-transformação, clareza mental, novas etapas, liberdade, renascimento. A borboleta representa os ciclos da vida, movimento e mudança. Elas possuem um período curto de vida. Elas nos preparam para mudanças e progressos. Quando você se sente estagnado e incapaz de se mover, a evolução entre em cena e lhe dá a força necessária para iniciar as mudanças. O medo é normalmente o maior obstáculo para as mudanças.
A borboleta sai da segurança de seu casulo para se deparar com um novo mundo em sua nova forma confiando em suas asas frágeis em um voo ainda desconhecido.
Insatisfações com sua vida, com relacionamentos e crises lhe forçam a tomar atitudes e promover mudanças radicais. A borboleta lhe trás a mensagem para você se preparar para as mudanças antes que elas caiam sobre você, sem aviso. Lembre-se que em todo fim há um novo começo.

Búfalo – Sabedoria ancestral, esperança, espiritualidade, preces, paz, tolerância, força proteção abundância e unidade. Quando ele surge, é hora de agradecer. Dê algo de volta para sua comunidade. Envolva-se com sua vida. Reconheça o Grande Espírito em todas as coisas. Confie e tenha fé. Plante uma árvore, adote um animal. Liberte-se de coisas que não lhe servem mais. Desista de atitudes que não lhe servem mais ao seu novo eu.
O Búfalo nos ensina que a verdadeira prosperidade vem quando nos sentimos agradecidos pelo que possuímos e quando vivemos em harmonia e amor com todos os outros seres.

Cachorro – Lealdade, habilidade para amar incondicionalmente, estar a serviço.

Cágado – estabilidade, organização, longevidade, honra, paciência, sabedoria. Criaturas exclusivamente terrestres, representam determinação e longevidade. Aqueles que o possuem como animal de poder levam as cargas dos outros além dos próprios pesos de suas suas experiências. São ótimos terapeutas mas devem ter cuidado para não assumir o peso dos outros. Ele ainda leva a energia da paciência e perseverança. São muito sensíveis ao ambiente e possuem uma ligação psíquica forte com a mãe terra. Eles sentem as vibrações da terra e reagem fortemente à elas. Mudanças bruscas no clima podem afetar sua disposição. As pessoas deste animal precisam de um ambiente estável para se sentirem bem; sem esta estabilidade elas estão sujeitas a mudanças no humor.
Sua habilidade de sobrevivência é devido à sua capacidade de estar centrado. São vegetarianos e dão muita importância à um lar estável. O fato de carregarem sua casa nas costas nos lembra que a verdadeira estabilidade está dentro de nós.
Seu movimento vagaroso nos ensina a observar e processar tudo eficientemente. Isto completa sua sabedoria. Lembre-se de se mover devagar em direção aos objetivos, se ele é seu animal. Confie em sua intuição.

Castor – Construtor. O castor trabalhar em cooperação para construir a sua casa e isto nos ensina que podemos criar e satisfazer com muito mais poder quando todos envolvidos em questão podem apreciar os talentos de cada um e trabalhar junto em harmonia.

Cavalo – Poder interior, liberdade de espírito, viagem xamânica, força ,clarividência. Mas esta força não podemos fazer mal uso dela, nem desperdiça-la e nem mantê-la para nós mesmos. Quando compartilhamos o nosso poder com os outros e os ensinamos como eles devem cuidar de seus próprios poderes, a nossa jornada se torna mais rápida e mais agradável.

Chimpanzé – Viver em harmonia. Os chimpanzés estão muito próximos do homem na escala da evolução e eles podem nos ajudar a restaurar um modo simples de vida que nos dá alegria de viver. Eles podem nos dar alegria, curiosidade e soltura, como também a nossa habilidade para nos tornarmos membros mais completos na comunidade humana e natural.

Cisne – Graça. Os cisnes nos ensinam a confiar na graça de nosso ser à medida em que ela opera nos planos físicos e espiritual e nos coloca para nos deliciarmos com os dons de nossos corpos físicos e nossas mentes intuitivas.

Cobra – Transmutação, cura, regeneração, sabedoria, psiquismo, sensualidade. Como as cobras deixam para trás a sua pele, nós podemos deixar para trás as nossas ilusões e limitações para usarmos plenamente a nossa vitalidade e desejos para alcançar a totalidade.

Coelho – Medo Quanto mais focamos em nossos medos, mais os atraímos. O coelho nos ensina a atrair abundância, amor, saúde, e uma toca aconchegante, seca e segura.

Coiote – Malícia, artifício, criança interior, adaptabilidade, confiança, humor. O coiote é o trapaceiro. Quando estamos levando a nossa vida muito seriamente, o coiote nos ensina a rir de nós mesmos. Ele é também o reforçador kármico, nos lembrando que o que fizermos aos outros, será feito à nós.


Coruja – Habilidades ocultas, visão interior; ou ainda, ver na escuridão, a vigília, a sombra, sabedoria antiga e clarividência. A coruja possui a habilidade de ver coisas que as vezes nos escapam. O dom deste remédio é não nos enganarmos com as aparências externas e descobrir a verdade por trás delas.
Ela é a criatura da noite e da escuridão. Está ligada ao mundo desconhecido e escondido dos espíritos. Representa nossa mente sub-consciente e com o oculto. Também está associada com a Lua e superstições. Alguns nativos americanos se referem à coruja como a águia da noite. Outros vêem a coruja com suspeita e medo. Ela é um bom augúrio para aqueles que estão sintonizados com alguma religião.
Se você tem a coruja como o animal de poder, sua mensagem é prestar atenção em seus sonhos e sentimentos. Questionar os seus medos e agir com intuição. Focalize em suas intenções e mova-se em direção as seus objetivos. Mantenha-se em silêncio e conserve sua energia para o momento certo de agir. Se você está enfrentando algumas incertezas e problemas, aquiete-se para poder enfrentar os seus medos e confusões. Evoque a coruja para ajudá-lo com o discernimento e conhecimento. Não tenha medo do escuro e do desconhecido. Explore seu mundo interior com confiança. Trabalhe para desenvolver clarividência. Faça uso de rituais e de influências da Lua para gerar poder e promover mudanças positivas.

Corvo – Curiosidade, inteligência, observação, visão e comunicação. O corvo é um mestre em mudanças e movimento. Ele é destemido e o guardião de coisas ocultas e sagradas. Ele é o interprete do desconhecido. Ele está sempre vigilante, observando tudo à sua volta. Existe algo do trapaceiro no corvo, eles são os piores fofoqueiros na natureza e não podem manter um segredo. Na mitologia Apolo tinha um corvo como mensageiro. Naquela época, todos os corvos eram brancos mas eles ficavam tão satisfeitos em dar notícias ruins que Apolo se cansou deles e os transformou na cor preta como a noite. Quando ele entra em sua vida, é hora de prestar atenção nos sinais, símbolos, profecias e sonhos. Faça as pazes com sua sombra. O corvo é atraído por objetos brilhantes. Nem tudo que brilha é ouro. Não se apodere do que não é seu mas sempre esteja preparado para tirar vantagens de oportunidades escondidas. Confie em sua intuição e integridade pessoal.


Cougar – Poder, rapidez, equilíbrio, planejamento, paciência e astúcia. Respeite as fronteiras dos outros. Não desperdice energia. Pense antes de agir.Fique ligado(a).Focalize nos objetivos. Atreva-se a ser diferente. Compartilhe com os outros mas não permita que eles sejam muito dependentes de você.Pratique o andar do cougar. Aprenda a se relaxar completamente e espreguiçar sempre que possível. Estude sempre o seu ambiente, use todos os seus sentidos. e confie neles. Seja firme mas flexível.


Elefante – Longevidade, inteligência, memória ancestral, proteção, auto-suficiência e comprometimento. O elefante nos ensina a força da gentileza, do comprometimento e da comunicação nos relacionamentos.. Eles são completamente envolvidos com todos com quem ele possuem qualquer tipo de relacionamento. Eles são poderosos ao proteger e gentis ao cuidar.

Esquilo – Preparação, planejamento, adaptabilidade e conservação. O esquilo nos ensina a planejar e nos prepararmos para o futuro. Não use todas as suas reservas. Devemos sempre guardar alguma coisa para nos servir em tempos ruins. Prepare-se também para as mudanças periódicas. Entretanto, se você estiver acumulando coisas, livre-se delas. Faça um inventário. Procure saber onde você está gastando. Pode ser uma boa hora para se afastar um pouco de todos.
O esquilo não só nos ajuda a nos livrarmos de objetos físicos desnecessários como também de crenças negativas que minam nossa confiança no amor e abundância.

Falcão – Precisão, memória remota, coragem sabedoria, iluminação, preces ao Universo, mensageiro, olhar em volta, observar a distância e atenção ao detalhe. O falcão nos ensina a sermos observadores e a prestarmos atenção em coisas que estão passando desapercebidas. Os falcões podem avistar uma presa do tamanho de um coelho à 3kms de distância. Este pode ser um talento que não usamos, uma benção pela qual não expressamos gratidão, ou uma mensagem dos espíritos.

Foca – A voz interior, e ainda, sonhos lúcidos, mover-se através das emoções, criatividade. A foca nos lembra de nossa conexão com os nossos ritmos, sentimentos e conhecimentos mais profundos representados pelo mar. Quando sentimos medo de nos afundarmos nestas profundezas, a foca nos lembrar com nadar. Elas tendem a ser desajeitadas quando não estão em seu habitat natural.

Gafanhoto – De acordo com Ted Andrews, o autor de “O Animal Fala”, o gafanhoto é considerado um símbolo da sorte boa, de boa graça, da abundância, e da virtude. Usando seus pés especialmente projetados, move-se pulando e um pulo pode jogar um gafanhoto a distâncias até vinte vezes seu próprio comprimento de corpo!
Os gafanhotos fazem exame de uma possibilidade e se lançam para frente, passando em muito as várias etapas que outras criaturas teriam que fazer para cobrir a mesma distância.
As pessoas com este Totem normalmente acham que as coisas não se movem ou se desenvolvem do jeito que acontece com as outras pessoas. Quando um gafanhoto se apresenta, é porque está próximo um novo pulo para frente em sua vida.
O simples fato disto star chamando sua atenção já significa algo… se você notou, existe uma razão para ter notado… Esta é minha filosofia.
O gafanhoto de chifre curto está relacionado aos locustídeos e ambos serão discutidos aqui. Como todos os insetos são de sangue frio eles são mais ativos quando estão mais mornos. Possui aproximadamente 10.000 espécies e cada uma tem sua própria canção original. Com algumas exceções somente os machos podem cantar. Durante a corte de acasalamento, os gafanhotos masculinos podem se alternar cantando canções, competindo com outro para a atenção das fêmeas.
Uma das dádivas desses insetos é o poder da canção e do som. A canção é uma maneira antiga para alterar a consciência e comunicar-se com nossas relações do mundo animal e dos espíritos. Algumas canções americanas nativas datam ao menos de 20.000 anos. Se estes insetos cantores chamou sua atenção com sua canção, podem estar lhe pedindo para você honrar seus antepassados e se conectar com sua verdadeira herança. Escutando e respondendo à sua voz interna assim como.usá-la de uma maneira complementar em direção a você mesmo e ao outro.
Os gafanhotos locustídeos são associados com viagem astral. Têm a habilidade de pular o tempo e no espaço onde os mistérios verdadeiros da vida existem. Os povos com a medicina do gafanhoto têm a sabedoria necessária para superar eficientemente obstáculos e podem saltar em riscos bem sucedidos sem preparação ou planejamento.
Quando o gafanhoto locustídeo aparecem para nós estamos sendo pedidos para dar pulo de fé e para saltar para a frente em uma área específica da vida, sem medo. Geralmente essa área específica é uma que nós evitamos e é conectada frequentemente à mudança em uma escala maior. Isto pode representar uma mudança na posição, relacionamentos, carreira ou apenas na maneira que nós nos percebemos.
A superpopulação e a falta de alimento fazem dos gafanhotos normalmente calmos, locustídeos temidos, capazes de descascar uma floresta ou uma fazenda no piscar de olho. Eles se tornam escuros, quase que pretos, de modo que possam absorver mais luz solar para ter o calor e a energia para manter seu enxame. Continuarão com este fervilhar até que alcancem um lugar com bastante alimento, ou que bastante deles sejam mortos para controlar a população.
Aqueles com um gafanhoto-locustídeo como um totem devem recordar que os presentes da terra de mãe estão disponíveis para todos se usado em uma maneira sagrada. Às vezes uma pessoa esquece-se desse equilíbrio sagrado e pega mais do que é preciso.
Isto pode também ser simbólico dos indivíduos que tomam de você. Outros estão exigindo demasiado de seu tempo, sua energia? A responsabilidade está sendo colocada em seus ombros que não é sua por direito? Estes são algumas das perguntas para se fazer se os gafanhoto-locustídeo se apresentarem a você. Recorde que a vida se torna somente mais difícil quando nós recusarmos pular para a frente na mágica da mudança.


Gambá – Auto-respeito. Quando nós nos aceitamos completamente e aprendemos a expressar a nossa essência, sem ego, nós atraímos aqueles que compartilham nosso caminho e repelimos aqueles que não. Seu lema é “Faça o que você diz”.



Ganso Canadense – Círculo Sagrado, vigilância e proteção. A migração do Ganso Canadense marca a passagem do Grande Círculo do Ano e nos lembra da sacralidade dos ciclos da vida. Também podemos aprender muito do comportamento cooperativo e comunitário desses pássaros que nunca abandonam um membro do grupo doente ou ferido e que sabem quando liderar e quando procurar alguem para tal.São conhecidos por seu destemor para defender a sua casa


Gato – Entendimento sobre mistérios, sensualidade, limpeza, visões místicas, independência, completude. O gato é um animal que combina um alto grau de sensualidade com uma natureza profundamente psíquica e espiritual. Ele nos lembra que os mundos espirituais e físicos não são separados, mas um só. Observe quando o seu gato não chega perto de alguém. Talvez é para você também não querer esta pessoa por perto.


Girafa – Visão focada. O mais alto dos animais com seu peso bem distribuído e somente fica vulnerável quando curva o seu pescoço para beber água. Ela nos ensina a ver a vida de forma focada e ao mesmo tempo expansiva e que em nosso desejo de expandir a nossa espiritualidade devemos sempre nos lembrar que nós somos criaturas físicas.


Golfinho – Pureza, iluminação do ser, sabedoria, paz, amor, harmonia, comunicação, sopro da vida, além da habilidade de se movimentar com desenvoltura por ambientes pouco amigáveis. Eles nos ensinam que ao sintonizarmos com os ritmos e padrões da natureza podemos aprender a verdadeira comunicação com o Todo Poderoso e a compartilhar esta sabedoria com os outros.


Hipopótamo – Profundezas Emocionais. É um animal sagrado para a tradição egípcia e Africana e é o segundo mamífero em tamanho. Ele nos guia a nos firmarmos na realidade para podermos encarar e dissolver questões emocionais ( o poder da água).



Lagarto – Devaneio. Em nossos sonhos imaginamos futuros diferentes e escolhemos qual iremos materializar. O lagarto nos ensina a importância de respeitar e a lembrar de nossos sonhos.

Leão – Poder, força, majestade, prosperidade, nobreza, liderança, coragem, segurança e o princípio masculino. Como símbolo astrológico ele reina o coração. A coragem vem do coração e de um sentido profundo de autoridade pessoal que cria o poder para agirmos de acordo com o nosso espírito. Aquele que age verdadeiramente de acordo com seu coração é capaz de liderança, conquistas e o tipo de sucesso que encoraja as conquistas do outros. Ele é considerado o rei dos animais por não ter um predador natural e vive no topo da cadeia alimentar.


Leão da Montanha – Liderança. Ser verdadeiro consigo mesmo não permitindo nem o medo da responsabilidade e o ciúmes e inseguranças de outros interfira em seu caminho. Esta é a marca de um verdadeiro líder.


Leopardo – Chita – Velocidade e foco. Diferente dos outros felinos que espreitam a caça e depois pulam sobre suas presas para matar, o leopardo, o mais rápido animal de quatro patas, corre para pegar a sua presa. Esta é uma lição para conseguirmos o nosso objetivo com grande velocidade, sem perdermos o foco. Quando nos sentimos paralisados, o leopardo pode nos dar o impulso para começarmos a nos movimentar. Se estamos já correndo numa grande velocidade mas sem direção, a energia do leopardo nos ajuda a mantermos os nossos olhos em nossos objetivos e a encontrarmos qual a melhor direção para consegui-los.


Leopardo da Neve – Graça, foco, silêncio, força, poder, agilidade e independência. Sua mensagem é a força do silêncio compenetrado. Ele nos ensina a sermos silenciosos, alerta e prontos para quando uma oportunidade se apresentar. Se você o tem como animal de poder, use da força do silêncio em sua vantagem. Não fale muito sobre seus objetivos futuros até que os tenha conquistado. Eles sabem como usar cada quantum de energia de sua corpo. Você possui energia mais do que suficiente para realizar efetivamente seus objetivos e normalmente responde bem em situações de pressão. Entretanto, tente não sobrecarregar-se em compromissos. Busque seus objetivos com todas as suas forças mas também tenha tempo para descansar e se divertir.

Libélula – Ilusão. Quando nos enganamos, acreditando que limitações físicas nos impedem de mudar e crescer, a Libélula nos ensina a atravessarmos estas ilusões.

Lobo – Amor, relacionamentos saudáveis, fidelidade, generosidade, ensinamento e habilidades sociais. O lobo é um animal com inteligência social e sentidos extremamente apurados. Sua habilidade de sobrevivência depende totalmente da cooperação de sua matilha. Seu comportamento segue uma hierarquia que segue uma ordem de comando. Cada lobo sabe o seu lugar e suas responsabilidades. Eles possuem um método complexo de comunicação que envolve linguagem corporal e habilidades vocais. Se você possui alguma dificuldade em se expressar, tome algum tempo estudando os lobos. Eles lhe ensinarão a melhorar suas habilidades de comunicação verbal com uma linguagem corporal apropriada. Eles lhe ajudarão a alcançar seus objetivos por meio de campanhas cooperativas. Sua mensagem é o poder para ensinar e compartilhar informações. Quando um lobo é visto no campo ele simboliza liberdade. Apesar da propaganda negativa, eles são muito amigos e possuem os sentidos extremamente evoluídos. Portanto, além de inteligentes possuem um excelente sentido de olfato, audição. Eles normalmente uivam para encontrar os outros membros de seu grupo ou para avisar outros de seu território.

Se um lobo entrou em sua vida, então é hora para compartilhar seus conhecimentos ensinando, escrevendo e dando palestras. O lobo sempre encontra uma maneira para aprender de algo corriqueiro e assim, nós podemos também descobrir novas verdades e compartilhá-las, ao explorarmos os caminhos escondidos de nossa consciência. Pode também estar sendo cobrado que você reexamine sua relação de dependência e independência. Por ter uma organização social muita desenvolvida, ele lhe ensina a equilibrar as necessidades de sua família e as suas próprias. Eles são muito leais e jamais abandonarão o grupo.
Lontra – A Curandeira. A lontra é receptiva, alegre e livre de ciúmes. Ela nos ensina a habilidade de nos sentirmos em casa em ambos os mundos. Na mitologia, a lontra era reverenciada por sua habilidade de se mover sem esforço dentro e fora d’água. Assim que homens e mulheres começam a expressar suas qualidades mais nobres que vem da lontra, o mundo pode se tornar um lugar agradável e alegre onde todos se divertirão sem medo de perdas ou danos. Ela também adora a vida e tudo que faz é aproveitar, brincando, flutuando sobre suas costas, comendo caranguejos enquanto equilibra uma pedra em sua barriga e fazendo bebezinhos.


Morcego – renascimento, iniciação, reencarnação, habilidades mágicas, transformação e renovação. Os morcegos possuem uma história longa associada à morte e renascimento por sua natureza noturna e sua habilidade de ver no escuro O iniciados do Xamã passam por um ritual de morte onde eles encaram seus medos e renascem sem suas velhas identidades. O remédio do morcego nos ensina a libertar os nossos medos e qualquer outro padrão que não se encaixa mais em nosso crescimento.

Onça – Espreita, proteção do espaço, silêncio, observação, precisão.

Orca – Domínio sobre o fraco. Ela é um grande predador do mar e como os golfinhos, elas caçam se divertindo. Elas são relutante em compartilhar o que sabem, mesmo com os de seu grupo. Elas possuem uma habilidade de levar as suas presas indefesas para locais isolados de onde é impossível escapar, e aí, ficam brincando com elas até as matarem.

Pantera – mistério, sensualidade, sexualidade, beleza, sedução, força, flexibilidade.

Pavão – Este pássaro é honrado em todo o mundo por sua beleza. Também está associado com ressurreição. Para nós, ele pode nos ajudar a nos livrarmos das penas velhas do passado e e exigir a nossa verdadeira beleza de nossa naturezas individuais. Isto reforça a nossa confiança e auto-estima.


Pombo – Paz. A paz simbolizada pela pomba é da mais profunda. Ela acalma as nossas preocupações e pensamentos inquietantes e nos permite encontrar renovação no silêncio da mente.

Raccoon – Destreza, agilidade, disfarce. Apesar de sua máscara estar associada com bandidos, ela possui um significado mais profundo. Ninguém é tão calmo quanto aparenta ser, mesmo para nós mesmos. Isto nos ensina a assumir ou liberar os diversos papeis que representamos.

Raposa – Camuflagem. O maior dom da raposa é saber quando sair para caçar sem ficar correndo em círculos. Quando estivermos prontos para nos desapegarmos de nosso ambiente a observar com todos os nossos sentidos, então estaremos prontos para antecipar e criar o nosso próprio futuro.


Rato – Capacidade de explorar detalhadamente. O rato nos faz prestar atenção a cada detalhe que poderíamos estar perdendo em nossa louca mania de querer ver amplamente, e também nos lembra para não desconsiderar o óbvio.

Salamandra – Transformação. Este animal nos ajudar a conectar com os mistérios da terra e nos sentirmos firmes no momento presente. Algumas salamandras são terrestres e outras aquáticas. Também estão ligadas ao elemento fogo.
Na natureza existe a oportunidade de fluir no tempo e no espaço, que é o território da magia. Ultrapassar fronteiras enquanto estamos parados como um pedra, deixando que o tempo místico o transporte deixando as suas impressões em sua vida.
A vastidão atemporal da natureza, o velho e o novo, se manifestam, com a jornada da contemplação, enquanto nós descansamos na imobilidade. Para a salamandra, o mundo onírico é a liberdade das correntes de um ego detido.


Salmão – Sabedoria. O salmão se lança em seu objetivo principal contra todos os obstáculos, para estar reunido com o Divino. A energia deste animal nos ajuda a desenvolver a sabedoria de encontrar significado e propósito em nossas vidas, e nos movermos com perseverança em nosso caminho espiritual.

Sapo – Evolução, limpeza, transformação, cura, mistério, humor, emoções. A água limpa a terra árida e devolve a vida; como o sapo limpar as nossas energias física e mental que nos privam de harmonia e paz, e ajuda a reabastecer nossa própria habilidade de nos curarmos em todos os níveis.


Tatu – Proteção, Discriminação e Limites. Possui um escudo nas costas e debaixo dele é a sua área mais vulnerável. Por isso quando ameaçado ele se torna uma bola, enrolando o próprio corpo. Suas garras são excelentes instrumentos para cavar o chão a procura de objetos escondidos. Sua mensagem é lhe lembrar que você pode estar precisando fazer algumas mudanças no que diz respeito a seu espaço pessoal. Estabeleça limites. Proteja-se mas tenha fé para poder viver sua vida de forma plena. Tome consciência para definir suas fronteiras emocionais e físicas.

Texugo – Agressivo, corajoso, pé no chão, perseverante confiável. Apesar de ser um animal noturno, ele é ativo dia e noite. Vive em tocas e por isso possui um excelente conhecimento das raízes sendo considerado o Guardião das Raízes.
É uma animal anti-social e não se comunica bem com os outros. Quando ele surge em sua vida é para lhe lembrar que você deve ser mais sério em suas coisas. Defenda mais seus pontos de vista. Não é hora para fechar os olhos ou olhar para o outro lado.
Ele é um excelente antídoto para a passividade e a vitimização. Pare de ser negativo e temeroso. Assuma a responsabilidade de suas escolhas e não será mais uma vítima.


Tigre – Aqui e agora. O tigre é um caçador solitário e silencioso e simboliza a remoção de todas as distrações da mente e o foco no momento presente. Assim o tigre é capaz de reunir todas as suas habilidades para obter sucesso.
São independentes e confiantes. Com grande força muscular, eles são capazes de correr grandes distâncias em perseguição de uma presa. Ele nos ensina foco, paciência e surpresa.
Possuem excelentes qualidades curativas e podem ver seis vezes mais do que os humanos no escuro. Quando o tigre aparece, prepare-se para desafios, aventuras e mudanças. O poder, a paixão e vitalidade do tigre ativarão os mesmos componentes em você.

Urso – introspecção, intuição, cura, consciência, ensinamentos, curiosidade, histamina e renovação. O urso representa o lado Oeste da Roda Medicinal que é o lugar da intuição, transformação, introspecção, jornada xamânica, sonhos e visões. Ele nos ensina a ir para dentro para solucionar questões e promover curas. Vá sempre à sua Caverna de Inverno (mente subconsciente) para renovação e recursos necessários para sua sobrevivência e cura.
Ele nos ensina também a digerir nossas experiências internas e a descobrir que lá se encontra as respostas para nossas perguntas.

Veado – Gentileza, camuflagem, graça e atenção. Sua mensagem é o amor incondicional. Este animal lhe diz para usar menos força e não confrontar seu inimigo agora. É hora para compaixão e perdão. Aprenda a confiar. Tente algo novo, Não tenha vergonha de chorar. Passe mais tempo ao ar livre.
Somente o amor pode dissolver as barreiras que nos previnem de nossa total realização.

Zebra – Individualidade. As listas da zebra servem como camuflagem contra predadores que são incapazes de pegar um indivíduo de uma manada. Ela nos ensina a mantermos nossa individualidade dentro de um grupo.

Animais Místicos

a.. Cavalo Alado – Elevação, transmutação, beleza, viagem astral,aventuras, mistério, fascínio.
b.. Centauro – Instinto animal, ligação homem-animal, anarquia, sexualidade, fertilidade, cura.
c.. Dragão – Potência e força viril, proteção Kundalini, calor, mensageiro da felicidade, senhor da chuva, fecundação, força vital.
d.. Elefante Branco – Força, bondade, escolha de caminhos, ligações extraterrestres, mistério.
e.. Fênix – Renascimento, fascínio, animal do Sol, imortalidade da alma, elevação, purificação.
f.. Sátiro – Libertinagem, divertimento, impulso sexual, instintos, fantasias sexuais.
g.. Unicórnio – Rapidez, mansidão, pureza, salvação, espiritualidade, inofensivo.